• Mário Maria

Investimentos e Inteligência emocional


Os investidores sabem que não devem deixar que as emoções impulsionem as suas escolhas de investimento, mas muitos simplesmente não conseguem ajudar a si próprios, de acordo com um inquérito do site de finanças pessoais Magnify Money.


Uma maioria, ou 58%, dos investidores inquiridos concordaram que a sua carteira funciona melhor quando as emoções são deixadas de fora da equação. No entanto 47% disseram que era difícil manter as emoções à distância, o inquérito descobriu.


O resultado é comprar, ou vender, remorsos: Dois terços dos inquiridos relataram lamentar decisões de investimento carregadas pela emoção. Os mais propensos a lamentar são os Gen Zers (85%), que é a Geração Z (18-24 anos) e os Millennials (73%), que é a Geração dos Milenares (25-40 anos)


Porque têm menos experiência no mercado, os investidores mais jovens podem não saber gerir as emoções no momento da tomada de decisões, disse Kamaron McNair, assistente editorial do Magnify Money.


Além disso, nos dias de hoje é mais fácil entrar no mercado de ações devido às diferentes aplicações de corretoras disponíveis. Combine isso com o aumento dos conselhos de investimento nas redes sociais, e pode ser uma receita para o desastre.


É importante frisar que não são apenas as emoções que interferem na tomada de decisões, o consumo de álcool também é um catalisador. Quase um terço, ou 32%, dos investidores investiram sob efeito do álcool. Um impressionante 59% dos Gen Zers inquiridos admitiram ter comprado ou vendido um investimento enquanto embriagados.


O que fazer se as suas emoções aumentarem?


“Antes de se culpar, saiba que é da natureza humana ser emocional - e tentar bloquear as suas emoções é fútil”, disse Jacquette M. Timmons, comportamentalista financeira da New York-based Sterling Investment Management.


"Em vez de tentar negar a existência da emoção ou suprimi-la, seja honesto consigo mesmo sobre o que é essa emoção que tem borbulhado até à superfície", disse ela.


Assim que a reconhecer, quer seja medo, ganância ou outra coisa qualquer, descubra porque se sente assim. Em seguida, planeie a próxima ação a tomar com base no sistema normal de análises preestabelecido por si que já deve ter em funcionamento, e que foque nas empresas que pretende avaliar, comprar e/ou vender.


"Demasiadas pessoas estão apenas a medir se devem comprar ou vender algo apenas com base no movimento dos preços das ações que nada tem necessariamente a ver com o desempenho da empresa", disse Timmons.


Em vez disso, olhe para o movimento trimestral para determinar quando se vai vender, por exemplo. Embora as pessoas não possam escapar de ser emotivas, podem escolher se querem ou não ser impulsivas.


Para além de voltar ao seu sistema quando confrontado com o desejo de tomar uma decisão impulsiva, também olhe para a impulsividade geral da sua vida. Veja quais foram os fatores que desencadearam essa emoção para o ajudar a identificar padrões e permitir-lhe colocar algumas barreiras.


É também importante saber se está a investir, o que significa deter ativos para acumular riqueza a longo prazo, ou a negociar, o que envolve a compra e venda frequente.


Veja a diferença entre investir e especular

"Parte do desafio é que as pessoas estão a jogar o mercado e não têm a certeza de qual é o seu papel, é por isso que estão a tomar estas decisões impulsivas", disse Timmons.


Fonte: Magnify Money




31 views0 comments

Recent Posts

See All